A Noite do Sol Nascente

A Noite do Sol Nascente

“Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas…” (Ml 4.2)

O texto acima é uma das metáforas mais lindas já registradas na Bíblia. Nela, o Sol da Justiça se levanta com asas poderosas e voa acima dos justos. Assim como o sol revivifica, alegra e frutifica a criação inteira, espalhando a sua luz e vida onde chega, Jesus Cristo, com poder ainda mais resplandecente, com influência, graça e pela virtude de seu Espírito, vivificará, iluminará, revigorará, curará e purificará a vida de todo aquele que Nele crer. Quando o Sol da Justiça brilha no coração do pecador, a vida ganha um novo significado, ele sai das trevas e experimenta a maravilhosa luz de Jesus.

Eis o Natal! Tempo da graça e da visitação de Deus ao Homem. Momento em que o “Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1.14), ocasião específica onde o Filho do Homem, vestiu a pele humana. Ele, que é “o resplendor da glória de Deus” (Hb 1.3), “a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo” (Fp 2.7), vivendo entre nós. O Evangelista Lucas, ao relatar o nascimento de Jesus aos pastores que viviam no campo (Lc 2.8), o fez da seguinte forma: “E um anjo do Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor” (Lc 2.9).

Após esse grande resplendor da glória de Deus, Lucas declara a eles a boa nova de grande alegria: “É que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11). Cerca de 400 anos após a profecia anunciada pelo profeta Malaquias, o céu tocou a terra, a misericórdia e a graça visitaram o nosso mundo. As promessas de Deus nunca falham. Louvado seja Deus!

Lucas menciona que o bebê que estava nascendo era o Salvador, o Cristo e o Senhor. O que isso significa?

  1. Salvador: João Batista quando se deparou com Jesus à sua frente, declarou: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.19). Como um cordeiro, Jesus nasceu numa estrebaria. Ele é o Cordeiro que morreu e com o seu sangue comprou para o Pai, todos os que lhe pertencem (Jo 17.9). Ele é o cordeiro suficiente para uma pessoa (Gn 22); Ele é o Cordeiro suficiente para uma nação (Êx 12); Ele é o Cordeiro suficiente para todo o que nele crer, de todos os povos, línguas e nações (Jo. 3.16). Ele tomou o nosso lugar, levou sobre si o nosso pecado, morrendo por nós a fim de proporcionar a nossa salvação eterna.
  2. Cristo: Significa “Messias” ou “Ungido”. Esse não é o sobrenome de Jesus, mas o título supremo do nosso Salvador. No Antigo Testamento, as pessoas eram ungidas quando eram chamadas para servirem como profetas, sacerdotes ou reis. Esse rito era feito para demonstrar, visivelmente, que a pessoa escolhida para esses cargos vinha da parte de Deus. O próprio Senhor, havia prometido ao povo de Israel que haveria não um ungido, mas “o Ungido”. Ninguém precisou lançar óleo sobre a cabeça de Jesus para confirmá-lo como Profeta, Sacerdote e Rei, o próprio Deus fez a confirmação disso através do nome “Cristo”.
  3. Senhor: O Salvador Ungido de Deus cumpriu cabalmente a sua missão. E após a sua morte e ressurreição, assentou-se no trono, vencendo todo o principado e potestade. Ele conduzirá a história para a sua consumação final. O seu Reino é composto de súditos de todas as nações, tribos, povos e línguas (Ap 7.9) e eles o louvarão pelos séculos dos séculos “proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.” (Ap 5.12). Ele tem como título supremo a insígnia de: “REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES” (Ap 19.16).

O natal é mais que festas e confraternizações, ainda que elas tenham o seu lugar. O natal é o nascimento do Salvador, do Ungido de Deus e do Senhor eterno. Festeje, com alegria e devoção, o nascimento de Jesus.

Pr. Fábio B. Coutinho

0 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *