Namoro na Era Digital: Desafios e Oportunidades

Namoro na Era Digital: Desafios e Oportunidades

Nessa semana foi comemorado o Dia dos Namorados (12.06)e muitos casais foram lembrados da importância de exercer o romantismo em seus relacionamentos. No entanto, o conceito de romantismo muda de acordo com os tempos e épocas. Por exemplo, no passado, se um rapaz queria namorar uma moça, ele falaria com ela face a face (uau!), a convidaria para ir a um restaurante ou cinema (e a conversa não seria interrompida pelas mensagens de celular), se apresentaria a família dela, pediria permissão aos pais e passaria a vê-la ocasionalmente, a fim de se conhecerem melhor e desenvolverem confiança mútua para um relacionamento futuro mais sério.

Mas hoje, tudo mudou! Quem toma a iniciativa pode ser tanto o rapaz quanto a moça; a indicativa do interesse em namorar pode ser demonstrado apenas por uma “curtida” nas fotos do Facebook; a opinião da família nem é considerada relevante mais e o “caminhar juntos” tomou outros contornos. Vivemos em uma era digital, na qual não apenas as a coisas estão diferentes, mas pessoas também mudaram.

É válido ressaltar que aera digital apresenta inúmeras oportunidades aos relacionamentos, inclusive aos namorados. Nesse contexto, alguns casais se encontram em ambientes virtuais, identificam seus interesses mútuos, desenvolvem o relacionamento, planejam seus casamentos e depois de se casarem continuam expressando suas afeições virtualmente. Certamente tudo isso pode trazer benefícios, pois o avanço tecnológico diminui o tempo e o espaço. Assim, mesmo à distância, os namorados podem manter contato diário e contínuo, bem como “alinhar seus pensamentos e projetos” de maneira mais rápida do que seus pais o fizeram. Também, os namorados podem “se conhecer em detalhes” que no passado não foram imaginados! Com certeza alguns outros benefícios poderão ser acrescentados aos exemplos acima.

No entanto, todo o avanço tecnológico desse novo tempo trouxe inúmeros desafios aos relacionamentos e aos casais enamorados dessa geração. Abaixo listo apenas alguns, para nossa reflexão.

Uma das diferenças que pode se tornar desafio essa Era diz respeito ao local onde os casais se encontram. Antigamente, esse encontro se daria em um coreto da praça, uma reunião de família ou nos cultos e atividades da igreja local. Hoje, esse encontro geralmente se dá no campo virtual, onde uma pessoa encontra a outra de qualquer parte do mundo. A diferença entre os dois lugares é que o primeiro era marcado pelo aspecto comunitário, enquanto o segundo é marcado pelo solitário! Em outras palavras, casais do passado aprendiam que o namoro e casamento eram projetos comunitário, enquanto hoje, com raras exceções, ambos se tornaram projetos solitários!

Outro desafio é o fato das pessoas atuais serem dominadas pela mentalidade de consumo. Nesse contexto, há tantas opções, tantas alternativas, que nem sempre o casal desenvolve a mentalidade de contentamento. Se alguém possui vinte alternativas de roupas, de sorvete e de qualquer outra coisa que ele deseja, a tentação será transferir isso para o campo relacional. Logo, algumas pessoas olham para o namoro sob a ótica consumista, pensando que seus interesses e desejos devem ser “sempre” satisfeitos. Quando não o são, acabam rompendo o relacionamento e rapidamente assumindo outro. Há ainda aqueles que ficam “comparando” e lamentando o que não possuem. Assim, quando o “deus alternativa” é adorado, o que acaba caracterizando os relacionamentos é a superficialidade e não a fidelidade e perseverança.

Em harmonia com a superficialidade mencionada, devemos lembrar que o ambiente virtual possibilita apenas o conhecimento parcial da pessoa. É verdade que muitos casais que se conheceram na internet podem ter um casamento feliz e harmonioso. Isso é graça divina! Não se pode, porém, ignorar, que a internet apenas apesenta uma “fração da pessoa” e não o indivíduo integral. Ali, as fotos são sempre de ocasiões de alegria, as pessoas estão sempre saudáveis e até desejáveis. O fato é que as fotos ainda não conseguem expressar o coração das pessoas, seus pecados e maus desígnios. Logo, o mundo virtual exige cuidado e cautela!

Também, o ambiente virtual não exige o relacionamento face a face. A norma do mundo digital é a comunicação via texting ou FaceTime. No entanto, nem mesmo o Face Time proporciona essa riqueza. A interação face a face permite o desenvolvimento do respeito mútuo, da paciência em aprender a ouvir, a oportunidade de identificar a comunicação corporal e não apenas com palavras e, principalmente, o amadurecimento da alegria de estarem juntos! Por mais que a tecnologia tente “encurtar” alguns desses processos, o fato é que nem todo “atalho” é benéfico, especialmente no campo dos relacionamentos.

Finalmente, outro desafio a ser listado é o fato de vivermos em uma época onde o sexo está em todo lugar, principalmente no ambiente virtual. Nossa cultura encoraja homens e mulheres a viverem de maneira promíscua e a expressão do amor é, fácil e sutilmente, identificada com a prática sexual. Também, nossa cultura avalia pessoas pelas suas curvas físicas e pelas medidas geométricas do corpo. Além do mais, nossa cultura se acostumou com o uso de palavras “picantes” e até vulgares como expressões de elogios! Para piorar, tudo isso é feito sem qualquer prestação de contas já que a comunidade (pais, família e igreja) foi afastada desse processo de namoro. Dessa maneira, muitos casais caem em armadilhas sem ter alguém para adverti-los da condição de perigo em que se colocam, pois no mundo digital, relacionamentos são privatizados! Esse é um enorme desafio, especialmente para cristãos, e um terreno repleto de armadilhas para os casais contemporâneos.

Concluindo, há vantagens e desvantagens na Era Digital. Navegar nesse mar não é algo fácil. Isso requer sabedoria, prudência e como as Escrituras ensinam o “temor do Senhor é o princípio da sabedoria”, o caminho da felicidade é o temor do Senhor. Assim, espero que você, namorado dessa geração, fundamente suas decisões e ações sobre o sólido relacionamento com o Bondoso Jesus.

One Comment

  1. Eliana Moura

    Verdade Pastor, a comunicação fácil e rápida em demasia, distanciamento do convívio com a comunidade e dos ensinamentos do Senhor, parece que é a receita perfeita para aumentar o egoísmo, que Deus nos guie e nos conceda discernimento e nos permita a utilizar esta tecnologia para nos aproximarmos cada vez mais Dele, e que afaste este egoísmo crescente de nossa comunidade. Obrigada pastor por estes textos que nos ajudam a refletir.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *