O Primeiro Mandamento

O Primeiro Mandamento

“Não terás outros deuses diante de mim.” (Ex 20.3)
O primeiro mandamento refere-se ao receptor da verdadeira adoração. Antes de nos preocuparmos com a maneira própria da adoração (segundo mandamento), a atitude correta na adoração (terceiro mandamento), ou ainda o dia devidamente dedicado à adoração (quarto mandamento), devemos estar certos de que o objeto da nossa adoração é o Deus vivo e verdadeiro. Este mandamento contraria o conceito popular de que “todo caminho leva à Deus”, o qual pressupõe que as várias religiões são apenas diferentes meios de se encontrar Deus. A Bíblia, porém, afirma: “ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores, todavia, para nós há um só Deus” (1Co 8.5-6). Logo, se apenas um é o Deus vivo e verdadeiro, é extremamente importante que Ele seja o objeto da nossa adoração.
No passado, homens imaginaram deuses de variadas formas e os adoraram como ídolos de pedra, madeira, ferro etc. Hoje também os seres humanos criam seus próprios deuses e muitas vezes não dão a eles forma material, mas os idolatram em seus sentimentos e sonhos. A imaginação humana é uma “fábrica de ídolos”. Há aqueles que imaginam, por exemplo, um deus que é todo amor, sem ira, que não condena o pecado humano e, que no final, salvará a todos independente de terem crido nele ou não. Este “deus”, porém, é inexistente e não traz nenhum alívio no momento da angústia.
Um estudo do primeiro mandamento implica em meditar em seus requisitos para a verdadeira adoração. Neste sentido, há três pontos básicos a serem observados.


É preciso conhecer o Deus vivo e verdadeiro como Ele Se revela. Isto significa, que devemos estudar e aceitar os ensinamentos da Bíblia Sagrada. Nosso conhecimento de Deus deve ser fundamentado nas Escrituras e não nos conceitos da cultura ou daquilo que gostaríamos que fosse. Quando não aceitamos a revelação que Deus faz de Si mesmo, não O reconhecemos como Deus e nem o adoramos corretamente.


É necessário que assumamos um compromisso real e vivo com o Senhor. No Antigo Testamento, o profeta Elias desafiou o povo de Israel dizendo: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o . . .” (1Rs 18.21). Consequentemente, não podemos dizer que conhecemos o verdadeiro Deus e não assumir publicamente um compromisso com Ele e com Sua causa neste mundo.


O verdadeiro Deus espera que O glorifiquemos em todas as áreas de nossa existência. Deus deve ser reconhecido como soberano e supremo em todas as áreas de nossa vida. Qualquer coisa menos que isto é uma quebra do primeiro mandamento. Aqueles que conhecem Deus e o reconhecem como a única e verdadeira divindade não se satisfazem com uma suposta adoração na qual Deus é ignorado e, algumas vezes, até criticado e blasfemado.
É possível afirmar que, do ponto de vista lógico, não podemos obedecer a nenhum outro mandamento sem que antes reconheçamos a existência e supremacia de Deus. Nosso esforço por obedecer aos demais mandamentos serão manifestações práticas de nossa obediência a este primeiro princípio estabelecido por Deus.

0 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *