Páscoa – O Pacto de Sangue

Páscoa – O Pacto de Sangue

“…e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia”. (Lc 24.46)

Mais uma Páscoa se aproxima e a cena se repete a cada ano: as redes de lojas e supermercados anunciam o grande dia. O coelho e os ovos multicoloridos são as atrações mais esperadas para adultos e crianças. Mais uma vez a voz da secularização ecoa em nossos ouvidos. E o pior, muitos daqueles que deveriam repudiar as ações promovidas para essa época apoiam-nas e lançam-se, sem pensar, na deturpação da verdadeira festa. Mas, que festa é essa mesmo? Afinal de contas, o que significa páscoa?

A letra de uma música conhecida por muitos cristãos diz: “…Páscoa, vida, amor maior, prova de amor sem fim…” Sem dúvida alguma, a Páscoa ocupa um lugar central nas Escrituras, pois demonstra o amor de Deus pelo seu povo e a visitação da sua graça no meio deles. Quando lemos o Antigo Testamento, encontramos em suas páginas a notícia da primeira Páscoa (Êx 12), que foi o dia da libertação do povo de Israel do terrível cativeiro no Egito. Já o Novo Testamento, quando aborda evento, refere-se ao período da morte e da ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, o Antigo Testamento, em suas narrativas e celebrações, prefigurava a figura do Messias que haveria de vir.

Ao fazer as leituras dos textos, tanto do Novo quanto do Antigo Testamento, facilmente você perceberá que há algo em comum nessa celebração, ou seja, um cordeiro substituto que foi morto e com o seu sangue livrou o povo de Deus da escravidão e da morte. Podemos identificar que não foi a vida do cordeiro, mas a sua morte que trouxe livramento para os israelitas. Igualmente, somos libertos da morte eterna e da escravidão do pecado pela morte de Cristo. Segundo as Escrituras, Ele é “O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29) e “nosso Cordeiro Pascal” (1Co 5.7), que morreu, mas ressuscitou e nos dá vida eterna e abundante.

Tendo conhecimento do verdadeiro significado da Páscoa, a celebração ganha um novo colorido. Não o multicolorido dos ovos espalhados pelos corredores dos supermercados e lojas de departamentos, mas, o colorido da multiforme graça de Deus. Graça esta que não impressiona somente os olhos, mas a alma, trazendo esperança e significado para uma data tão especial para os cristãos. Páscoa, para aquele que tem Jesus como seu Senhor e Salvador, é mais que coelhos, é mais que ovos de chocolate e está muito além da mesa farta, da festa em família, das viagens e do divertimento. Páscoa é o pacto de Deus com o homem, é vida e vida eterna em Cristo Jesus.

Mais uma vez temos a oportunidade de relembrar a graça e o amor de Deus por àqueles a quem ama. Foi com um pacto de sangue, sangue de seu filho vertido na cruz, que Deus nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do filho de seu amor (Cl 1.13). Se você faz parte desse reino, celebre e divulgue a verdadeira Páscoa, pois ela tem um significado real e espiritual capaz de impactar vidas. Que a nossa vida anuncie o Cristo ressurreto e que um novo cântico esteja em nossa boca a proclamar: “Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação” e “…Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.”. (Ap 5.9 e 13).

Pr. Fábio B. Coutinho

0 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *