Um Supremo Objetivo

Um Supremo Objetivo

“Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo;” (Sl 42.1-2 a)

Quando observamos a dinâmica da vida e atendemos a sabedoria, percebemos que não somos o centro dela. Isso, certamente, nos frustra, fere o nosso orgulho e a nossa autoestima, mas, por outro lado, traz um imenso alívio ao coração. Quando isso ocorre, reconhecemos que somos incapazes de produzir a nossa própria esperança, de realizar os nossos sonhos e viver diariamente dependendo do nosso ego. 

Na história bíblica, houve um homem conhecido como “o pregador”, escritor do livro de Eclesiastes, que após tentar fazer com que a vida girasse em torno de si mesmo, frustrou-se completamente.  Após inúmeras tentativas infrutíferas, ele alcançou a resposta em outra fonte e registrou: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem” (Ec 12.13). A lição para os nossos dias é que a pessoa pode até tentar buscar outros propósitos para a sua vida, porém labutará em vão.

No Catecismo Menor de Westminster em sua pergunta de número 01 lemos: “Qual é o fim principal do homem?”, e a resposta é: “O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre” (cf 1Co 10.31; Sl 73.24-26; Jo 17.22,24). Agostinho, bispo de Hipona, em seu livro “As Confissões”, deixou registrado: “Fizeste-nos para Ti e inquieto está o nosso coração enquanto não repousa em Ti”. Quando entendemos que o nosso dever é glorificar a Deus e o nosso destino é nos deleitarmos e nos alegramos nele, somos tomados de profunda satisfação e um verdadeiro senso de direção para a nossa vida. 

Mas como glorificar a Deus e deleitar-se nele? Existem inúmeras maneiras de fazermos isso, mas destacarei apenas algumas. Vejamos:

1. Fazendo tudo para a glória de Deus: “Portanto quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co 10.31.) Ame a vida e viva segundo a vontade do Senhor. Tudo ganha significado quando fazemos de coração para Deus. Não existe, para o salvo por Cristo Jesus, uma dicotomia entre o sagrado e o profano. Tudo o que ele faz deve ser para o Senhor.

2. Crendo e confessando Jesus diante dos homens: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que estás no céu”(Mt 10.32). Para o salvo em Cristo Jesus, viver uma vida de testemunho não é difícil, pois ele ama o Senhor e está disposto a anunciá-lo sempre.

3. Defendendo as verdades de Deus: “…santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (2Co 3.15). Busque sempre a verdade de Deus em sua Palavra e, assim, será habilitado pelo Espírito Santo para responder a todo e qualquer questionamento que eventualmente for feito a você.

4. Produzindo frutos dignos de uma nova vida: “Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça;...” (Jo 15.16 a). Aqueles que estão ligados à Videira Verdadeira produzem o fruto do Espírito a cada dia. Foram criados para a glória de Deus e por essa razão refletem essa glória. Suas vidas apontam para Cristo.

5. Adorando ao Senhor: “Firme está o meu coração, ó Deus! Cantarei e entoarei louvores de toda a minha alma” (Sl 108.1). Mesmo que as circunstâncias sejam adversas, adore. Paulo e Silas, quando injustiçados e presos em um cárcere escuro e desumano, adoraram a Deus por aquilo que Deus é (At 16.25). Levantaram louvores ao Altíssimo na certeza de que nada poderia separá-los do amor de Deus que está em Cristo Jesus (Rm 8.35-39) e assim cumpriram o supremo objetivo de suas vidas. 

Que Deus nos ajude a cumprir o seu supremo objetivo para a nossa vida. 

Pr. Fábio B. Coutinho 

0 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *